ESTE BLOG POSSUI CONTEÚDOS ACADÊMICOS RELACIONADOS AO CURSO DE GEOGRAFIA (LICENCIATURA) E, CONTEÚDOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA. OBRIGADO PELA VISITA.

COLABORE COM O DESENVOLVIMENTO DESTE BLOG, PARA MAIS ESTUDOS E INFORMAÇÕES IMPORTANTES. MANDE SUA COLABORAÇÃO PARA BANCO DO BRASIL AGENCIA 3744-3 CONTA 9.422-6 MISSAL / PARANÁ.

INTERESSE EM PATROCINAR ESTE BLOG ENTRE EM CONTATO PELO E-MAIL anderson_josebender@hotmail.com

Quem sou eu

Minha foto
Sou simples, honesto, sincero, dedicado, carinhoso, compreensível e de muita fé em DEUS. Sou católico, Professor formado em Educação Infantil, pelo curso de formação de docentes do C.E.P.E.M (Colégio Estadual Padre Eduardo Michelis) de Missal - PR, formado em Geografia (licenciatura) pela UNIGUAÇU – FAESI, e cursando atualmente Pós - Graduação em Educação Especial e Inclusiva.

Pesquisar no blog

Origem das Visitas

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

La Niña

     La Niña é o nome dado para designar um fenômeno climático que ocorre em decorrência do resfriamento (em média 2°C ou 3°C) anormal das águas superficiais do oceano Pacífico, especialmente na parte centro-oriental. Esse fenômeno gera profundas mudanças na dinâmica da atmosfera, fator que interfere diretamente nas características climáticas do mundo.
     No Brasil, a La Niña é percebida principalmente por causar: passagens rápidas de frentes frias sobre a região Sul, diminuição da temperatura na região Sudeste, chegada de frentes frias ao nordeste durante o inverno, aumento nos índices pluviométricos no leste e norte da Amazônia, entre outras interferências climáticas menos representativas.
     A La Niña acontece em intervalos que oscilam entre 2 e 7 anos, com uma duração de aproximadamente um ano. A ocorrência do fenômeno em questão foi registrada nos anos 1950/1951, 1954/1955/1956, 1964/1965, 1970/1971, 1973/1974/1975/1976, 1983/1984, 1984/1985, 1988/1989, 1995/1996 e 1998/1999.
     No ano de 1998, foi identificada pelos cientistas uma queda de 1,9°C na temperatura das águas superficiais do oceano Pacífico, decretando o final do fenômeno El Niño e ativamento da La Niña.
     O último fenômeno La Nina (1999) provocou nos Estados Unidos um inverno extremante rigoroso, com temperaturas há muito não registradas. Tempestades de neve, avalanches foram algumas das consequências da La Niña na Europa, além de precipitação de neve em regiões que quase não ocorrem, como em Paris (França).
     Recentemente, diversos estudos ligados a esse fenômeno climático constataram que não há uniformidade nas consequências provocadas pela La Niña, isto é, não se sabe se o regime das chuvas vai aumentar ou diminuir, por exemplo.

Entre os meses de Dezembro e Fevereiro:
* Aumento das chuvas na região nordeste do Brasil; principalmente no setor norte, a qual corresponde os estados do Maranhão, Piauí, Ceará e oeste do Rio Grande do Norte
* Temperaturas abaixo do normal para o verão, na região sudeste do Brasil;
* Aumento do frio na costa oeste dos Estados Unidos;
* Aumento das chuvas na costa leste da Ásia;
* Aumento do frio no Japão.
* Entre os meses de Junho e Agosto:
* Inverno árido na região sul e sudeste do Brasil;
* Aumento do calor na costa oeste da América do Sul;
* Frio e chuvas na região do Caribe (América Central);
* Aumento das temperaturas altas na região leste da Austrália;
* Aumento das temperaturas e chuvas na região leste da Ásia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marcadores