ESTE BLOG POSSUI CONTEÚDOS ACADÊMICOS RELACIONADOS AO CURSO DE GEOGRAFIA (LICENCIATURA) E, CONTEÚDOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA. OBRIGADO PELA VISITA.

COLABORE COM O DESENVOLVIMENTO DESTE BLOG, PARA MAIS ESTUDOS E INFORMAÇÕES IMPORTANTES. MANDE SUA COLABORAÇÃO PARA BANCO DO BRASIL AGENCIA 3744-3 CONTA 9.422-6 MISSAL / PARANÁ.

INTERESSE EM PATROCINAR ESTE BLOG ENTRE EM CONTATO PELO E-MAIL anderson_josebender@hotmail.com

Quem sou eu

Minha foto
Sou simples, honesto, sincero, dedicado, carinhoso, compreensível e de muita fé em DEUS. Sou católico, Professor formado em Educação Infantil, pelo curso de formação de docentes do C.E.P.E.M (Colégio Estadual Padre Eduardo Michelis) de Missal - PR, formado em Geografia (licenciatura) pela UNIGUAÇU – FAESI, e cursando atualmente Pós - Graduação em Educação Especial e Inclusiva.

Pesquisar no blog

Origem das Visitas

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Aspectos históricos, físicos, culturais, sociais e econômicos de Cuba


UNIGUAÇU – UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DO IGUAÇU LTDA.
FAESI – FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE SÃO MIGUEL DO IGUAÇU
ISE – INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO
CURSO DE GEOGRAFIA
Geografia Econômica



 Aspectos históricos, físicos, culturais, sociais e econômicos de Cuba



ANDERSON JOSÉ BENDER
SIMONE CASSULI


Trabalho de graduação apresentado à disciplina Geografia Econômica do Curso de Geografia do Instituto de Ensino Superior da Faculdade de Ensino Superior de São Miguel do Iguaçu, sob orientação da Profª Júlia Brandão Kashiwagura.









SÃO MIGUEL DO IGUAÇU
2011


SUMÁRIO
1. Introdução
2. História
3. Sistema Político e de Governo
3.1 Sistema eleitoral Cubano
4. Economia
4.1 Dados atuais sobre a economia de Cuba
5. Educação em Cuba
6. Sistema de Saúde
7. Turismo
8. Aspectos Geográficos
9. Considerações finais
10. Referências

1.   Introdução

Neste trabalho veremos sobre como foi descoberta a ilha de Cuba em 1942, e também sobre diversos aspectos políticos, históricos e sociais no decorrer do tempo, com uma breve abordagem sobre política e governo e consecutivamente sobre o seu sistema eleitoral, que é um pouco diferente daquele estamos acostumados a ver no nosso país. Não podendo esquecer de mencionar a educação desse país que é sem dúvida uma das melhores da América Latina. A economia Cubana baseia-se na agricultura, pesca e no cultivo da cana de açúcar e do fumo, para a produção de charutos, que são mundialmente conhecidos, pelo seu excelente sabor. O turismo representa boa parte da economia no país. No sistema de saúde, toda a população Cubana, tem garantia de atendimento médico gratuito, que se transformou desde os primeiros momentos do triunfo da Revolução num dos paradigmas sociais fundamentais. Desde 1993, Cuba vem fazendo grandes progressos na área de biotecnologia, tendo obtido registro de suas patentes e direitos de sua exploração comercial nos EUA.

  
2.   História
O navegante Cristóvão Colombo chegou à ilha de Cuba no dia 27 de outubro de 1492. Diego Velásquez foi quem conquistou o território, iniciando um processo de assentamento e fundação das primeiras vilas cubanas sendo elas: Nossa Senhora da Assunção de Baracoa, San Salvador de Bayamo, A Santíssima Trinidad, Sancti Spíritus, Santiago de Cuba, San Cristóbal de Havana e Santa María do Porto do Príncipe.
Os conquistadores espanhóis escravizaram os aborígines e extinguiram sua população em poucos anos. Com a necessidade de mão de obra, foram trazidos a força milhares de negros africanos para trabalhar como escravos nos campos de cana de açúcar, que já começavam aparecer como o primeiro setor da economia cubana.
A nação cubana surge da mistura entre os aborígines, espanhóis, africanos e chineses. Desde o início, a história de Cuba não foi mais do que a luta entre os homens que viviam na colônia e a metrópole.
Com a chegada do século XVII começou a decadência espanhola. França, Inglaterra e Holanda disputavam a Espanha e suas conquistas de ultramar, assim as águas e costas cubanas se encheram de corsários e piratas que fizeram florescer o comércio de contrabando, fato que repercutiu sobre a economia cubana desenvolveu os setores fundamentais que duram até o presente, são eles: o gado, a produção de açúcar, café e fumo.
Em meados do século XVIII, um fato inesperado sacudiu fortemente o panorama econômico, político e social de Cuba: a ocupação de Havana pelos ingleses. Durante onze meses entraram no porto da Havana mais de mil barcos que estabeleceram um amplo comércio com as Treze Colônias norte-americanas, ao mesmo tempo em que os ingleses introduziram mais de dez mil escravos para impulsionar o desenvolvimento da indústria açucareira.
À medida que o crioulo se unia fortemente a Cuba, sua terra de origem, foi perdendo cada vez mais seu contato com a Espanha e não esteve disposto a ocupar um lugar secundário frente a comerciantes e governantes metropolitanos que o obrigavam a negociar só com eles. Foi surgindo assim um sentimento nacionalista e no século XIX teve início as guerras pela independência.
Em 1878 surgiu o líder das lutas cubanas pela independência: José Martí, que fundou o Partido Revolucionário Cubano. Em 24 de fevereiro de 1895 estourou novamente a guerra dirigida por Martí. Máximo Gómez e Antonio Maceo continuaram lutando e estenderam a guerra desde o oriente do país a toda Cuba. Desta maneia a Espanha não pôde fazer nada com o avanço das tropas que lutavam pela independência.
As forças cubanas ganhavam cada vez mais terrenos e o Exército Espanhol se debilitava rapidamente com sua política de "Até o último homem e até a última peseta". Nessa situação necessitou-se em 1898, a intervenção dos Estados Unidos na guerra.
A guerra concluiu com a assinatura de um tratado de paz (Tratado de Paris, de 10 de dezembro de 1898) entre Espanha e Estados Unidos no qual Norte Americanos receberam o controle absoluto de Cuba, Porto Rico e Filipinas.
Em 1901, representantes norte-americanos aprovaram a Emenda Platt, que permitia a “soberania” de Cuba, mas autorizava ao governo norte-americano intervir em qualquer momento no país, estabelecia também que o governo de Cuba devia arrendar aos Estados Unidos as terras necessárias para carboníferas ou estações navais em certos pontos combinados com o presidente dos Estados Unidos. Depois de alguns anos sob tutela estadunidense, Cuba conseguiu uma independência formal controlada por uma oligarquia dependente de Washington.

3.   Sistema Político e de Governo

O sistema político cubano é um modelo escolhido absolutamente pelos próprios cubanos, é autentico e está fundamentado na igualdade e a solidariedade entre os homens e mulheres, no direito à autodeterminação, na independência e a justiça social. A existência de só um partido responde a fatores históricos concretos e à existência mesma da nação cubana.
O Partido Comunista de Cuba é herdeiro e continuação histórica do Partido Revolucionário Cubano fundado por José Martí no século XIX para unir a todos os cubanos para libertar Cuba do colonialismo espanhol. Muitos desses fatores, entre os que se encontram impedir que Cuba seja anexada aos Estados Unidos, sem ultrapassar o tempo, pelo bloqueio e as ações agressivas que o império do norte impôs ao povo cubano.
Os cubanos exercem de maneira legítima sua participação na tomada de decisões do país por meio de diversas organizações políticas e de massas são elas: A União de Jovens Comunistas, Central de Trabalhadores de Cuba, Federação de Mulheres Cubanas, Organização de Pioneiros José Martí, Federação Estudantil Universitária, Federação de Estudantes do Ensino Médio e outras organizações da sociedade civil de acordo a interesses, idades e prioridades.

3.1       Sistema eleitoral Cubano

As eleições em Cuba se realizam a cada cinco anos, são livres e nelas não postulam nem participam as organizações políticas. A inscrição é universal, não-obrigatória e gratuita de todos os cidadãos maiores de 16 anos com direito ao voto.
O processo de seleção se realiza a partir da solicitação dos candidatos ao poder popular de base, diretamente pelos próprios eleitores em assembléias públicas de bairro.
O voto é livre e secreto. Todos os cidadãos cubanos têm o direito a eleger e ser eleitos. Como não há lista de partidos, vota-se diretamente pelo candidato desejado.
As urnas são custodiadas por meninos e jovens pioneiros, selam-se em presença da população, e a apuração dos votos se faz de maneira pública, podendo participar a imprensa nacional e estrangeira, diplomatas, turistas e toda pessoa que se interesse.
O candidato só é eleito se obtiver mais de 50% dos votos válidos emitidos. Se este resultado não é atingido na primeira votação, os dois candidatos que obtiveram mais votos irão para uma segunda votação, da mesma maneira como ocorre no Brasil.
No sistema eleitoral cubano todos os órgãos do Poder do Estado são eleitos e renováveis, todos os eleitos devem mostrar resultados para seus eleitores e podem ser afastados por quem os elegeram.

4.   Economia  
Levando em consideração os recursos naturais com que conta a Ilha de Cuba, o desenvolvimento do turismo foi uma das medidas tomadas pela direção do governo dirigidas à recuperação da economia no início da década de 90. Este setor se transformou em poucos anos na principal fonte direta de recursos do país, juntamente com outros setores: o agrícola, industrial e de serviços.
A agricultura e a pesca constituem outra fonte importante de renda, com mais de 6,686,7 hectares de terras cultiváveis. Cuba cultiva e produz para a exportação e consumo cana de açúcar, charuto e cítricos, entre outros cultivos dirigidos principalmente ao consumo nacional e turismo: viandas, hortaliças, vegetais. Já os produtos da pesca tiveram um aumento de 44% nos últimos anos, principalmente a lagosta e o camarão.
A mineração teve grande participação no crescimento do PIB nos últimos 10 anos. Cuba conta com a terceira reserva mundial de níquel e cobalto. O nível de produção atual é maior que 70 mil toneladas ao ano, e constitui o segundo setor de exportação de bens do país.
Outro elemento importante no crescimento do PIB é o avanço na produção de portadores energéticos (petróleo e gás) para a geração de eletricidade e o consumo industrial e doméstico. No início dos anos 90 a produção total não chegava a um milhão de metros cúbicos, hoje a produção triplicou, o que constitui uma poupança de divisas por conceito de importações, apesar de não cobrir as necessidades totais do país.
À medida que foi se recuperando o desenvolvimento da indústria avançou o processo de investimento estrangeiro no país, surgiram novos setores exportáveis de produtos não tradicionais, destacando-se os derivados da indústria farmacêutica e de biotecnologia, sidero-mecânica, alimentícia.

4.1       Dados atuais sobre a economia de Cuba 
            O país agora está lentamente se recuperando de uma séria recessão econômica que se seguiu à retirada dos subsídios da antiga União Soviética   (Cerca de 4 a 6 bilhões de dólares anuais em 1990). Só em 2006 o povo cubano conseguiu recuperar quase o mesmo padrão de vida do final da década de 1980, e a economia de Cuba ainda hoje sofre as consequências do rígido embargo comercial, imposto pelos Estados Unidos desde 1962. De acordo com as autoridades cubanas, o embargo norte-americano teria causado uma perda de mais de 79 bilhões de dólares à sua economia.
A economia cubana se manteve crescendo sem interrupções na última década, apesar de elementos externos hostis: a dinâmica internacional recessiva e o bloqueio econômico, comercial e financeiro que nos impõe a nação mais poderosa do mundo fazem mais de 40 anos. Deve destacar-se que, devido a este bloqueio, que provocou danos estimados em mais de 121 mil milhões de pesos cubanos, Cuba não conta com nenhum apoio financeiro das instituições internacionais como o FMI, o BM ou o BID.  
A taxa de desemprego se reduziu de 4.1% em 2001 para 3.3% em 2002 e em 2003 se manteve o programa de geração de novos postos de trabalho oferecendo perspectivas sem igual no mundo de hoje.
Nos últimos anos, está se desenvolvendo um conjunto de programas sociais de benefícios para a população, atingindo resultados surpreendentes. Políticas de assistência social foram postas em prática para o atendimento às pessoas mais necessitadas, principalmente para a terceira idade. Foi criado o projeto do emprego de estudar, programa que desenha cursos de superação integral dirigidos à juventude desvinculada do estudo e o trabalho, que lhes proporciona uma qualificação enquanto recebem um salário.

5.   A Educação em Cuba
O Sistema Nacional de Educação da República de Cuba está concebido como um conjunto de subsistemas organicamente articulado em todos os níveis e tipos de ensino.
Os subsistemas que integram a estrutura do Sistema Nacional de Educação são:
- Educação Pré – escolar;
- Educação Primária;
- Educação Especial;
- Educação Técnica e Profissional;
- Formação e Aperfeiçoamento do Pessoal Pedagógico;
- Educação de Adultos;
- Educação Superior;
O ano escolar está organizado em todos os centros docentes do país, desde 1de setembro e até a primeira semana do mês de julho, incluindo períodos de classes, avaliações periódicas e exames. As férias são de mês e três semanas. Durante este tempo os maestros e professores desfrutam do mês de férias e o restante do tempo se prepararam metodologicamente para o curso seguinte.
A escola, como centro do trabalho educativo, organiza atividades artístico-culturais, desportivas, recreativas, patrióticas, de formação vocacional e orientação profissional, bem como nos concursos de conhecimentos, concorrências de habilidades e movimento de monitores, nos centros de estudo ou fora deles, em diferentes instituições da comunidade e em horários extra-escolares. Para isso conta com a colaboração de organismos estatais, organizações sociais, culturais, esportivas e estudantis e tem em conta as necessidades e possibilidades dos estudantes e a comunidade.

6.     Sistema de Saúde
A garantia de atendimento médico gratuita a toda a população cubana se transformou desde os primeiros momentos do triunfo da Revolução num dos paradigmas sociais fundamentais. 
Desde o próprio triunfo revolucionário começaram a trabalhar pela criação do Sistema Nacional de Saúde que levou a ação do trabalhador da saúde aos lugares mais afastados. O sistema criado começou a realizar importantes reformas a partir dos anos 60, como parte fundamental das transformações do período revolucionário e em resposta ao respeito mais absoluto de um dos direitos humanos fundamentais de todo cidadão.
Na etapa pré-revolucionaria, o atendimento médico e hospitalar se caracterizava pelo predomínio de serviços de caráter privado. Esta modalidade nos serviços de saúde impedia o acesso às pessoas de mais baixos rendimentos, as que contavam como única opção com as Casas de Socorro, que atendiam principalmente os casos de urgência. As instalações e o pessoal médico radicavam fundamentalmente na capital do país, onde se concentrava 65% dos médicos e 62% das camas existentes. Nas zonas rurais, praticamente não existia atendimento médico e se contava com um só hospital rural.
As ações empreendidas no desenvolvimento da rede assistencial, permitiram a rápida transformação da situação existente. Hoje Cuba conta com 381 áreas de saúde com cobertura completa com o programa do médico da família, os que superam a cifra de 28,000 médicos, distribuídos em todo o país. Mais do 99,1 % da população cubana está coberta com um médico e enfermeira da família e se espera atingir o 100% nos próximos anos.
Desde 1993, Cuba vem fazendo grandes progressos na área de biotecnologia, tendo obtido registro de suas patentes e direitos de sua exploração comercial nos EUA. Sua vacina contra hepatite B é vendida em 30 países do mundo. Em 1994, o ingresso de divisas em Cuba através da exportação de biotecnologia alcançou a cifra de 400 milhões de dólares e se estima que no futuro poderia ser maior que o do açúcar.
A biotecnologia cubana já gerou mais de 600 patentes para drogas novas e inovadoras como vacinas, proteínas recombinantes, anticorpos monoclonais, equipamento médico com software especial, e sistemas de diagnósticos. Cerca de sessenta outros produtos estão nos estágios finais de pesquisa.


7.   Turismo em Cuba
O turismo não é uma atividade nova em Cuba, teve seu auge a partir dos anos 50. Nessa época, quando o desenvolvimento turístico em Cuba esteve unido à presença da máfia norte-americana na Ilha, os Estados Unidos eram o mercado principal, e o jogo e a prostituição eram as principais ofertas da Ilha. Este turismo de cidade condicionou o pouco desenvolvimento do produto natural nessa etapa. 
A partir de 1959, o desenvolvimento da economia esteve dirigido a outros programas importante do país, pelo qual o turismo era fundamentalmente nacional, fato que condicionou uma estrutura habitacional pouco competitiva como produto internacional.
Nos anos 80 começa a reabertura ao turismo internacional, mas é em 1990 que se produz um novo enfoque do desenvolvimento deste setor, criam-se as primeiras empresas mistas e há um crescimento acelerado nas chegadas de visitantes e nos rendimentos.
 Para comercializar seu produto turístico, Cuba conta, principalmente, com a hospitalidade popular de seu povo, excepcionais atrativos naturais, um patrimônio histórico autóctone, prolífica vida artística e cultural, um desenvolvimento sanitário único, a estabilidade política e a segurança para os turistas.

8.   Aspectos geográficos
Cuba é um arquipélago formado por mais de 1.500 ilhas. As maiores são a Ilha de Cuba e a Ilha da Juventude (que tem uma superfície de 2200 km²). A Ilha de Cuba é a maior ilha do Caribe, com uma área de 104 945 km².
Banhada a norte pelo estreito da Flórida e pelo oceano Atlântico Norte, a noroeste pelo golfo do México, a oeste pelo canal da Península de Iucatã, a sul pelo mar das Caraíbas e a leste pela passagem de Barlavento. A baía de Guantanamo contém uma base naval, alugada aos Estados Unidos da América desde 1903. A ilha de Cuba é a 16ª maior ilha do mundo.
A Ilha de Cuba está formada principalmente por planícies onduladas, com colinas e montanhas mais escarpadas situadas em grande maioria na zona sul da ilha. O ponto mais elevado é o Pico Real del Turquino com 2005 m. O clima é tropical, embora temperado pelos ventos alísios. Existe uma estação relativamente seca de novembro a abril e uma estação mais chuvosa de maio a outubro.
Havana é a capital e a cidade mais populosa. Santiago de Cuba e Camagüey são também cidades importantes.

9.   Considerações finais
Podemos dizer que Cuba assim como os demais países da America do Sul e Caribe, teve uma descoberta muito semelhante com os mesmos problemas, escravidões e domínios dos europeus, principalmente dos espanhóis. Mesmo depois de sua independência Cuba sempre esteve focada pelos Americanos como rota de fuga dos ricos, magnatas e mafiosos, além de ser o lugar perfeito dos cassinos e cabarés.
            Porém a visão de um líder com olhar ambicioso chamado Fidel Castro, mudou essa concepção transformando o país em uma nação socialista. Com muita luta e garra Cuba vem dando a volta por cima, mesmo através das sanções impostas pelos EUA, o país está conseguindo resistir e tende-se a admirá-lo por isso, tanto que transformou um país com mais de 30% de analfabetos em uma nação que hoje é referência mundial nas artes, nos esportes, na medicina, entre outras áreas.
            Essa evolução toda é que ainda incomoda os grandes pois se trata de uma evolução socialista, isto está fazendo com que Cuba fique isolada de grande parte do mundo o que ainda está impedindo um avanço maior em Cuba principalmente, quando falamos em infra-estrutura , o país se mantém com o que tem se socializa num contexto de sobrevivência o que não traz avanços de riqueza, mas o que se pode observar é que se cria uma união entre os povos, pois onde mais um medico clinico geral trabalharia por US$ 28,65, e onde poder-se-ia sobreviver com uma aposentadoria que gira em torno de US$ 11,25 e US$ 15, parece um absurdo mas é a realidade, e povo consegue sobreviver, humildemente pois o governo ajuda e oferece condições para fazer do pouco quase o suficiente para a vida. 

10.         Referências
http://vsites.unb.br/ceam/nescuba/artigos/artigo2.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cuba
http://www.terra.com.br/noticias/especial/cuba/links.html http://www.cubagob.cu/
www.cubaweb.cu

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Tipos de Nuvens e Chuvas


Interação entre os elementos do clima com os fatores da atmosfera geográfica
Elementos climáticos: temperatura, umidade e pressão;
Fatores do clima: latitude, altitude, maritimidade e continentalidade, relevo e atividades humanas.


Temperatura do ar

É a medida do calor sensível nele armazenado, sendo comumente dada em graus Celsius (°C).

O campo higrométrico: a água na atmosfera

Sua concentração na atmosfera corresponde a uma das fases do ciclo hidrológico.
A presença da água é espacial e temporalmente variável na Troposfera.

 
No ar a água pode estar na forma: líquida, sólida ou gasosa. Pode provocar conforto e desconforto térmico.
A passagem de uma fase a outra (calor latente) libera energia.
O vapor d’água é invisível. O que sai da chaleira é água em estado gasoso que se condensa em contato com o ar.
A densidade da água é menor que a do ar seco e possui a tendência de ascender na Troposfera.
Evapotranspiração, umidade, precipitação abundante. Desconforto higrométrico.

A evaporação aumenta com a temperatura, com a velocidade do vento e com a diminuição da umidade relativa.
A evaporação, ao consumir calor sensível (gasto de energia) e transformá-lo em calor latente, estará resfriando o ar, pois esta energia consumida não mais estará sendo usada para aquecê-lo.
A condensação (gasoso para o líquido) é o inverso da evaporação.
É a perda de calor latente de evaporação e forma núcleos de condensação. A condensação, ao transformar calor latente em calor sensível, estará aquecendo o ar.



Para que o ambiente retire a energia contida na molécula de vapor, ele deverá estar mais frio que a própria molécula. Quando isso ocorre, a temperatura do ar atingiu a temperatura de ponto de orvalho.
UR do ar – mostra em % o quanto de vapor está presente no ar em relação à quantidade máxima possível de vapor que nele poderia haver.
A UR do ar é inversamente a temperatura do ar, pois é esta que controla o teor de umidade máxima presente em um volume de ar.
Quando do movimento vertical do ar, a temperatura do mesmo é alterada adiabaticamente. Ascensão, redução da densidade, menor contato entre as moléculas, resfriamento adiabático. 


Orvalho, nevoeiro, geada e nuvens


Orvalho- ocorre pela condensação do vapor (ocorre tanto ao anoitecer quanto ao amanhecer);
Geada – resfriamento do ar (=/< 0°C); céu limpo; atuação de massa de ar frio.
Nevoeiro (neblina ou cerração) – nuvem muito baixa e/ou em contato com o solo, formada por gotículas d’água.

Nevoeiro por radiação – em noites de céu limpo. A umidade do ar se condensa próxima ao solo.



Nevoeiro frontal – ocorre ao longo das frentes frias (mistura dos ares) e pode condensar o vapor próximo ao solo.


 


Nevoeiro por advecção – quando há a advecção do ar frio sobre superfícies líquidas (o vapor incorporado pelo ar frio o satura, gera a condensação-nevoeiro).



 Nevoeiro orográfico- ocorre nas vertentes a barlavento 

Nuvens 
Nuvens – resultam dos movimentos ascensionais do ar úmido, que permite seu resfriamento, alcance seu ponto de saturação e seu ponto de orvalho, e se condensando.
Formadas por gotículas d’água ou cristais de gelo. São classificadas pelo formato que possuem.
A ascensão do ar por: convecção; radiação; ação orográfica; frontal.

Convecção rápida - Cumulus (crescimento vertical)
Convecção lenta – Stratus e Altostratus (nuvens estratificadas); Cirrus (nuvens onduladas).
Nuvens altas – Cirrus (> de 7 km de altitude); formadas por cristais de gelo ou super resfriadas (Cirrocumulus).
Cirrus
 

Cirrucumulus


Stratocumulus
Altostratus
 
Altocumulus

Nuvens médias – entre 2 e 7 km, associadas a tempo chuvoso

Stratus
Nimbostratus
Nuvens de crescimento vertical – Cumulos (podem atingir até 18 km)
Cumulos – tempo sem chuva;
Cumulonimbos – associados a furacões (Ciclone tropical); chuvas “pesadas” com granizo (à tarde); tornados (nos Trópicos).



 
Cumulos (nuvem baixa associada a chuva “forte”.

 
Cumulonimbus (nuvem alta associada a chuva “forte”, furacões e tornados.


Chuvas – os tipos estão ligados aos movimentos que permitem a ascensão.
Chuva de origem térmica ou convectiva – forte aquecimento do ar. Cumulus e Cumulonimbus.
Chuvas de origem orográfica ou de relevo – vertente a barlavento. Nuvens Stratus e Cumulonimbus.
Chuva de origem frontal – contato entre massas de ar.

 
         A variação da chuva está ligada à: correntes marítimas, zonas de temperatura, ventos oceânicos. Linha do Equador: chuvas abundantes (convecção do ar e correntes oceânicas quentes); Zonas tropicais (Ventos e correntes oceânicas quentes do oceano). Áreas de latitude média chuvas abundantes e para os pólos redução das precipitações.

Marcadores